O orvalho divino

“O orvalho divino” é a primeira poesia de Santa Terezinha e foi inspirado num ato de caridade de Santa Teresa para a Irmã Teresa de Santo Agostinho que lhe desagradava muito.

Segue a Poesia

1. Meu doce Jesus, no regaço de tua Mãe,
Tu me apareces todo radioso de Amor.
O Amor: eis o inefável mistério
Que te exilou da morada celeste...
Ah! Deixa que me esconda sob o véu
Que te oculta a todo mortal,
E junto a ti, Estrela Matutina,
Encontrei um prelúdio do Céu.

2. Desde o despertar de uma nova aurora,
Quando do Sol se vê os primeiros raios,
A terna flor que começa a desabrochar
Espera do alto um bálsamo precioso.
É o salutar orvalho da manhã,
Repleto de um doce frescor,
Que produzindo uma seiva abundante,
Do fresco botão, faz entreabrir a flor.

3. És tu, Jesus, a flor apenas aberta;
Contemplo-te em teu primeiro despertar.
És, tu, a Rosa deslumbrante,
O fresco botão rubro e gracioso.
Os braços tão puros de tua mãe querida
Formam-te um berço, trono real.
Teu doce Sol é o seio de Maria,
E teu Orvalho é o Leite virginal!
(...)

O post com a segunda parte sai a noite pessoal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s